JUSTIÇA CONDENA MULHER QUE "TRAIU" O MARIDO COM UM VIBRADOR

A professora Laura Silveira dos Reis, 33 anos, foi condenada a indenizar em vinte salários mínimos seu ex-marido, o motorista Antonio Adalberto Lima dos Reis, 29 anos. A razão da indenização foi a violação da honra dele em um vídeo compartilhado em um grupo secreto do Facebook onde ela usava um vibrador.
O vídeo possui pouco mais de 9 minutos e já foi visualizado por mais de cem mil internautas. Embora no vídeo ela usasse uma máscara assemelhada a do Zorro, seu ex-marido reconheceu a tatuagem dela na virilha e móveis do quarto do casal. Antonio Adalberto descobriu o vídeo ao ingressar coincidentemente no mesmo grupo secreto que a esposa participava.
A traição configura violação dos deveres do casamento (dever de fidelidade recíproca, dever de respeito e consideração mútuos etc – art. 1.566, CC) e, como tal, dá fundamento ao pedido de separação judicial por culpa, desde que a violação desses deveres torne a vida conjugal insuportável. Já a indenização pode ser solicitada sempre que a traição ofenda publicamente a honra do cônjuge traído.
O advogado Rubens Oliveira Alves, doutor em Direito de Família, afirma que “o uso secreto de acessórios de natureza sexual por si só já caracterizaria o rompimento com o dever de respeito e consideração mútua. A gravação e o compartilhamento do vídeo deram publicidade a traição conjugal”.
O Dr. Oliveira Alves faz um importante alerta aos casais: “Até a masturbação pode ser considerada uma modalidade de adultério. O adultério se consuma com a prática do inequívoco ato sexual. E masturbação é um ato sexual. Solitário, mas sexual. Que evoca a participação virtual de terceiros”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VEJA O VÍDEO DO ESTUPRO DA MENINA DE 14 ANOS NA COLÔNIA AGRÍCOLA PENAL NO PARÁ QUE REPERCUTIU NO MUNDO

SOMENTE PARA MAIORES DE DEZOITO ANOS. FOTOS NUAS DE BB!

Divulgada lista de aprovados no concurso para cargos de escrivão, investigador e papiloscopista