FBI pode ativar câmeras e microfones de celulares à distância, revela jornal

O FBI consegue controlar smartphones Android para ativar câmeras e microfones remotamente. Segundo a acusação, publicada pelo diário Wall Street Journal nesta sexta-feira (2), a agência tem em mãos ferramentas avançadas de hackeamento, utilizadas normalmente para investigar casos de crime organizado, pornografia infantil e terrorismo.
FBI teria métodos hackers para investigar suspeitos (Foto: Reprodução/Wired)FBI teria métodos hackers para investigar suspeitos (Foto: Reprodução/Wired)
A fonte, segundo o WSJ, é um “ex-oficial da divisão de tecnologia da agência”, que declarou que estas táticas são usadas apenas “quando não há nenhuma outra opção” de investigação.
“O FBI desenvolve ferramentas de hackear internamente e compra algumas do setor privado. Com elas, pode remotamente ativar microfones em telefones usando o Android para gravar conversas", disse um ex-oficial. "Ele também pode fazer o mesmo para microfones em laptops, sem que o usuário saiba”, diz a matéria do jornal americano.
Além desta tecnologia de invasão remota nos celulares, o FBI teria meios de se infiltrar nos computadores utilizando dispositivos físicos, como pendrives preparados para isso. Depois de coletar os dados, as autoridades passariam as informações para um time especializado, que define o que é relevante encaminhar para as investigações responsáveis.
“O FBI contrata pessoas com habilidades de hackear e elas compram ferramentas capazes de fazer essas coisas”, disse o ex-oficial ouvido pelo WSJ, que destacou também que estes recursos são utilizados desde 2005.
Até o momento não houve qualquer posicionamento oficial sobre o assunto, mas não é difícil imaginar que este tipo de serviço de segurança, de fato, tenha seus métodos para invadir os produtos eletrônicos. Ainda de acordo com o WSJ, eles só não são utilizados contra hackers porque as autoridades temem o vazamento de sua tecnologia e o uso dela contra o próprio país.

Site russo publica foto que mostraria Snowden deixando aeroporto

 


O site de notícias russo "Life News" publicou uma foto que mostraria o ex-agente norte-americano Edward Snowden deixando o aeroporto de Sheremetyevo, em Moscou, na Rússia, ao lado de de Sarah Harrison, do WikiLeaks, e do advogado Anatoly Kucherena, responsável por sua defesa na Rússia.
Foto mostraria Snowden deixando aeroporto em Moscou nesta quinta-feira  (Foto: Reprodução/livenews.ru)Foto mostraria Snowden deixando aeroporto em Moscou nesta quinta-feira (Foto: Reprodução/lifenews.ru)
A fotografia mostra Snowden sorridente, com o cabelo um pouco mais comprido do que da última vez que havia sido visto. Ele recebeu asilo temporário por um ano na Rússia e deixou o aeroporto após ficar 40 dias no local.
Segundo Kucherena, o ex-agente foi levado para um "local seguro" em território russo.
"A segurança é uma questão muito importante para ele", disse Kucherena à TV estatal Rússia 24. "Ele próprio decidirá para onde ir."
"Eu o coloquei em um táxi entre 15 e 20 minutos atrás e dei-lhe o certificado para obter o status de refugiado na Federação Russa", disse ele. "Ele pode morar onde quiser na Rússia. É a sua escolha pessoal."
O advogado disse que Snowden não ficaria em qualquer embaixada em Moscou, apesar de três países latino-americanos terem se oferecido para abrigá-lo. Snowden estava bem, acrescentou Kucherena.
O americano, ex-consultor dos serviços de inteligência dos EUA,  é procurado pelas autoridades americanas após ter vazado informações sobre os programas de monitoramento de telecomunicações do governo federal.
O caso gerou uma crise para o governo do presidente democrata Barack Obama, repercutiu internacionalmente e provocou um grande debate sobre a privacidade dos usuários da Internet.
Snowden, de 30 anos, havia pedido asilo temporário à Rússia para depois possivelmente viajar para um país latino-americano, mas ainda não se sabe ao certo quais serão seus próximos passos.
Ele teme que os EUA, que tentam conseguir sua extradição, interceptem sua possível fuga.
EUA e Rússia
O fato de Snowden ter escolhido a Rússia para se abrigar, após uma rápida passagem por Hong Kong, levou ao temor de uma crise diplomática entre EUA e Rússia.
Os laços entre Rússia e EUA não vão sofrer por conta do "relativamente insignificante" caso de Snowden, disse nesta quinta um importante funcionário do Kremlin.
"Nosso presidente expressão muitas vezes esperança de que isso não vai afetar o caráter de nossas relações", disse Yuri Ushakov.
Ele acrescentou que não existe sinal de que o presidente Obama vá cancelar uma viagem à Rússia prevista para setembro.
WikiLeaks comemora
"Nós ganhamos uma batalha -agora, vamos à guerra", disse o WikiLeaks, em sua conta no Twitter, após a saída de Snowden.
O site de vazamentos de informações sigilosas está prestando assessoria ao americano desde que ele revelou os segredos americanos.
Sarah Harrison, uma representante do WikiLeaks que estava com Snowden, confirmou que ele havia deixado o aeroporto.
O ex-consultor americano Edward Snowden é visto nesta sexta-feira (12) em Moscou, em imagem divulgada pela Human Rights Watch (Foto: AFP)O ex-consultor americano Edward Snowden é visto em 12 de julho em Moscou, em imagem divulgada pela Human Rights Watch (Foto: AFP)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VEJA O VÍDEO DO ESTUPRO DA MENINA DE 14 ANOS NA COLÔNIA AGRÍCOLA PENAL NO PARÁ QUE REPERCUTIU NO MUNDO

SOMENTE PARA MAIORES DE DEZOITO ANOS. FOTOS NUAS DE BB!

Divulgada lista de aprovados no concurso para cargos de escrivão, investigador e papiloscopista