Propinoduto tucano: Justiça Federal bloqueia os bens dos investigados

propi
Embora a imprensa continue silente e só cubra os pontos inocultáveis das investigações do “Propinoduto Tucano”, o caso continuam a todo vapor.
A Justiça Federal decretou ontem (7) o bloqueio dos bens dos investigados no inquérito policial. Os bens bloqueados somam cerca de R$ 60 milhões e constam de contas bancárias, títulos de investimento e ações.
> Relembre o caso
Shot003
> Nomes dos donos dos bens não são publicados
Os nomes dos investigados não foram publicados - se fossem do PT ou do PMDB estariam em negrito e caixa alta -, mas sabe-se que os bloqueios recaíram sobre cinco pessoas físicas, três ex-diretores da CPTM, e duas pessoas jurídicas.
> Suíça
As peças enviadas pela Justiça suíça apuram que, apenas em S. Paulo, a Alstom pagou cerca de R$ 45,5 milhões em propinas. O inquérito suíço cita dois tucanos da alta plumagem paulista: Jorge Fagali Neto e Andrea Matarazzo.
> Os contratos suspeitos e empresas denunciadas
Shot005
> Alemanha
As peças da Justiça alemã, que já multou a Siemens, apuram que o propinoduto atravessou três governos tucanos em São Paulo desde 1998, cujos contratos somam R$ 1,75 bilhão em valores não atualizados.
> Penalidades
Shot006
Os infográficos foram elaborados pelo UOL

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

VEJA O VÍDEO DO ESTUPRO DA MENINA DE 14 ANOS NA COLÔNIA AGRÍCOLA PENAL NO PARÁ QUE REPERCUTIU NO MUNDO

SOMENTE PARA MAIORES DE DEZOITO ANOS. FOTOS NUAS DE BB!

Divulgada lista de aprovados no concurso para cargos de escrivão, investigador e papiloscopista