DIGITEC

Consultoria em TI, uma desafiadora oportunidade

Abrir empresa própria ou participar do quadro de uma grande companhia pode agregar conhecimentos e aumentar o valor de mercado de profissionais

Por James Della Valle
Consultoria de TI
Consultoria de TI: profissionais devem manter uma boa rede de contatos (Thinkstock)
No terceiro trimestre de 2011, o mercado de tecnologia da informação (TI) cresceu 10% em relação ao mesmo período de 2010. É um avanço invejável, mas que fica tímido quando comparado a outra marca. A demanda por profissionais especializados subiu 60%, de acordo com a empresa de recrutamento e seleção Asap. Os números mostram que o setor está aquecido e comprovam a dificuldade que as companhias enfrentam para contratar mão de obra qualificada. É, por outro lado, um momento favorável a profissionais dispostos a investir na consultoria, já que o mercado procura pessoas dispostas a resolver tarefas específicas em prazos determinados – a especialidade dos consultores, que trabalham por empreitada. Pode ser também a chance de virar dono do próprio nariz.

De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), estima-se que haja 1,2 milhão de profissionais de TI no país. A ideia de exercer a consultoria atrai muitos profissionais. Na prática, isso significa abandonar um cargo de TI em companhias tão distintas quanto supermercados, hospitais e grandes lojas, entre dezendas de outras, para passar a atender essas mesmas companhias como um prestador de serviço. Pode-se estar empregado em uma grande consultoria de TI ou abrir o próprio negócio.
"A consultoria atrai porque permite que os profissionais se desenvolvam de forma mais ampla. Com o tempo, e a diversificação dos projetos executados para diferentes clientes, eles passam a adquirir mais conhecimento e aumentam seu valor de mercado", diz Matilde Berna, diretora de transição de carreira da Right Management, especializada em reposicionamento profissional. Denis Del Bianco, diretor da TOTVS Consulting, corrobora a tese. "No nosso caso específico, cada projeto dura em média quatro meses. Nesse período, aprendemos com a cultura de outras empresas e lidamos com pessoas de diferentes especialidades. É enriquecedor do ponto de vista profissional." Continue a ler a reportagem

O que dizem os profissionais

"Após virar consultor, minha renda cresceu muito. Era exatamente o que eu queria. O segredo é ter uma especialização, alimentar bons contatos profissionais e ficar atento a nichos de mercado, que sempre demandam atenção especial."

Willian Martins, 5 anos de consultoria

"Consegui contratos com grandes instituições como USP e Fapesp. Vivemos um momento curioso, em que a falta de mão de obra especializada nas grandes empresas nos favorece, pois podemos oferecer nossos serviços com qualidade técnica e humana."

Diego Ferreira Ucha, 5 anos de consultoria

Outra vantagem é a possibilidade de crescer "horizontalmente" na profissão. O termo pode soar estranho, mas pretende explicar uma situação corriqueira. Refere-se a profissionais que, à medida que evoluem na carreira, continuam atuando em áreas técnicas e projetos, em vez de serem obrigados a assumir posições de gerência, mais burocráticas. "Trabalhando em empresas cujo negócio principal não é TI, rapidamente os melhores profissionais são alçados a cargos de gerência", diz Thomas Gisler, executivo de serviços da CPM Braxis Capgemini, especialista na área de sistemas SAP (gestão empresarial). "A consultoria expande os horizontes: você sempre está fora, viajando e lidando com culturas empresariais diferentes." Quem optar pelo negócio próprio, é claro, terá de enfrentar de cara questões gerenciais – confira os passos essenciais do consultor-empresário.
Além das diversas opções disponíveis, a remuneração também é um atrativo na hora de partir para a independência. De acordo com a Catho Online, site que reúne e tabula ofertas de empregos e currículos, o ganho mensal médio de um consultor com graduação completa é de cerca de 5.000 reais, enquanto um programador ou analista de banco de dados, com o mesmo tempo de experiência profissional, recebe apenas metade desse valor. Com o tempo e a especialização, a consultoria pode render mais de 8.000 reais mensais aos profissionais reconhecidos.
Consultoria pode ser um boa escolha, mas nem de longe está livre de percalços. Intermitência de trabalho é um deles – minimizado em tempos de mercado aquecido –, já que os consultores trabalham por empreitada. Apesar dos eventuais riscos, Matilde Berna, da Right Management, aconselha a todos os profissionais de TI tentar a experiência. "O profissional ganha um olhar mais apurado do universo em que atua. Muitos acabam voltando para empresas tradicionais, mas, mesmo assim, com ganhos."

Seis passos para abrir sua própria consultoria

1 de 6

1. Fome de empreender

Para abraçar o caminho da consultoria, é preciso ter vontade de empreender. Isso implica assumir o bônus e também o ônus de manter o próprio negócio. Então, além de exibir orgulhosamente um cartão de visitas com seu nome, o consultor independente precisar ter em mente que terá de administrar suas contas, buscar clientes, administrar funcionários, pagar impostos. Tudo isso só é possível com o mínimo de capacidade de administração. Em resumo, o consultor é seu próprio patrão. "O mercado não aceita consultores fracos. É preciso ser organizado, competente, disciplinado do ponto de vista financeiro, corajoso para enfrentar a concorrência e, principalmente, ter capacidade de se autogerir", diz Willian Martins, consultor independente.

Central da Reciclagem

Cartuchos e Toner

Reciclagem de Cartuchos de Impressão e Toner

Reciclagem de cartuchos de toner - algumas considerações
Os fabricantes fornecem pó de toner original?
Os fabricantes não fornecem somente o pó de toner, nem os demais insumos necessários para reciclagem de cartuchos. Os fabricantes de impressoras laser, como hp, Lexmark, Okidata, Xerox, Samsung, Ricoh, Canon, Brother, Gestetner, Konica Minolta, Kyocera Mita, Sharp, Savin, EPSON etc. fornecem somente o cartucho de toner completo, que existe em duas versões no mercado:
  • o cartucho completo em uma só peça, que inclui o cilindro fotocondutor (padrão para as máquinas monocromáticas da hp)
  • o cartucho em duas peças, onde o de toner é separado do cartucho com o cilindro fotocondutor (padrão em algumas impressoras Lexmark "low-end", Okidata etc.)
A razão desse tipo de abordagem é que o cartucho fotocondutor chega a durar 5 a 6 vezes mais que o de toner. Então, ao se separar esses componentes em duas peças distintas, é possível ao fabricante praticar uma abordagem comercial diferenciada para uma determinada impressora, que precisará trocar o cartucho fotocondutor somente a cada 5 a 6 trocas do de toner.
O elevado custo dos cartuchos originais (tanto os cartuchos em uma peça como os em duas) fomentou a formação da indústria de reciclagem ou remanufatura de cartuchos, com uma ampla oferta de soluções, sempre com o enfoque de oferecer ao usuário uma significativa economia de custos com impressão. O cliente consegue obter significativa economia no custo total do seu parque de impressão, quer seja comprando cartuchos recarregados com os recicladores especializados, quer seja adquirindo os itens necessários para promover a reciclagem "in-house" de seus próprios cartuchos (um exagero praticado por algumas empresas que acaba por desviar a atenção da mesma das questões importantes do seu próprio negócio).
É fácil encontrar-se no mercado, portanto, pó de toner e todos os demais insumos necessários para reciclar os cartuchos de toner e fotocondutor. Algumas vezes sou consultado, por indivíduos interessados nessas alternativas, se os itens que vendo são originais. Oras, não é do interesse de nenhum fabricante a venda de insumos, portanto todas as alternativas disponíveis no mercado para reciclagem são de itens compatíveis. Alguns são produtos de má qualidade e nesse aspecto nosso papel é fundamental, pois cuidamos de selecionar um elenco de produtos que apresentam desempenho semelhante ou superior ao original.
Os fabricantes, por sua vez, procuram, com maior ou menor intensidade, combater essa indústria, pois a mesma promove uma profunda evasão de receita dos mesmos - e essa é uma receita muito saudável em termos de lucratividade.
Portanto, encontra-se no mercado de reciclagem somente insumos não originais, porque não é do interesse de nenhum fabricante vender esses insumos, cujo preço é uma fração do preço de um cartucho original completo.
A reciclagem é uma solução confiável?
Nossos clientes demonstram estar muito satisfeitos com a nossa oferta de produtos, tanto na compra de insumos como de cartuchos reciclados - o que pode ser verificado nas avaliações de clientes que compraram essa linha de produtos conosco.
Minha impressora está imprimindo com falhas. A troca do toner resolve?
Um cartucho de toner possui vários componentes com vida útil distinta. Nos cartuchos completos (toner e fotocondutor numa única peça), a troca do cilindro fotocondutor pode ser necessária somente após uma ou duas recargas de toner. Em alguns casos essa troca é necessária somente após 5 ou 6 recargas, como ocorre com os cartuchos coloridos da OKIDATA C5100, por exemplo. A freqüência de troca de cada componente depende, portanto, das características próprias de cada cartucho. Uma falha na impressão pode ser causada por um cilindro, uma lâmina de limpeza ou pela qualidade do próprio pó utilizado. Cada caso requer uma análise própria para definição do componente que precisa ser trocado.
Você fornece todos os insumos necessários para reciclagem?
Todos os componentes do cartucho têm uma vida útil e precisarão ser trocados mais cedo ou mais tarde. O reciclador precisa sempre fazer uma avaliação econômica sobre a melhor alternativa para reciclar um determinado cartucho. Cartuchos originais, virgens, trazem componentes que durarão 5, 6 ou mais ciclos. Cartuchos que já foram reciclados podem requerer a troca de tantos componentes que torna economicamente inviável a empreitada. Além do mais, a troca de certos componentes requer ferramentas especiais de valor elevado. Então cada caso precisa ser avaliado isoladamente.
A reciclagem de cartuchos virgens implica, em geral, somente na sua desmontagem, colocação do pó de toner, remontagem e troca do chip. O procedimento é simples: fornecemos as garrafas com pó de toner na medida certa e os chips. Na maioria dos casos o reciclador precisará de algumas ferramentas elementares, como aspirador de pó, alicate, chave de fenda, pincel, funil etc. para abrir o cartucho, higienizar o mesmo (retirar a sobra de pó que está no cartucho), colocar o novo pó e remontá-lo. E estará pronto pra uso!
O ideal, portanto, é que este procedimento seja feito com o cartucho original, virgem. Como cada um dos componentes do cartucho tem uma sobrevida útil e, nos cartuchos já reciclados, não se conhece o seu histórico, alguns itens podem já ter exaurido a sua vida útil, situação em que somente a troca do pó não será suficiente. Sei, por exemplo, que os cilindros originais de um cartucho virgem duram até 6 recargas, mas como posso saber quantas são as cargas remanescentes de um cartucho já remanufaturado? Será que não precisarei também trocar os cilindros nesta intervenção?
Alguns usuários me perguntam se é garantido que seu cartucho funcionará com o pó de toner que fornecemos. Pelos motivos acima expostos não é possível oferecer ao reciclador nenhuma garantia numa recarga. Podemos afirmar que trabalhamos com produtos de reconhecida qualidade e que qualquer falha é decorrente ou da qualidade do cartucho usado na reciclagem ou da mão de obra aplicada no serviço de reciclagem. Um cartucho que já tenha sido remanufaturado precisa ser aberto e avaliado tudo que será preciso trocar. Dependendo da situação pode ser inviável fazer a reciclagem e o melhor caminho seja adquirir uma carcaça virgem ou mesmo comprar um cartucho novo (original ou compatível de qualidade).
O PROPÓSITO DESTE ARTIGO É PROVER ORIENTAÇÃO GERAL QUE PERMITA AOS NOSSOS CLIENTES ATUAIS OU POTENCIAIS TOMAR DECISÕES OBJETIVAS, CONSISTENTES, MINIMIZANDO RISCOS. NENHUMA INFORMAÇÃO CONTIDA NESTE GUIA PODERÁ SER REPRODUZIDA OU DE QUALQUER OUTRA FORMA UTILIZADA POR TERCEIROS, SEM PRÉVIA AUTORIZAÇÃO, POR ESCRITO, DO AUTOR.
Fonte:guia.mercadolivre.com.br/reciclagem-cartuchos-toner-algumas-consideracoes-23220-VGP

Comentários

Primo me encaixa na loja...

Postagens mais visitadas deste blog

VEJA O VÍDEO DO ESTUPRO DA MENINA DE 14 ANOS NA COLÔNIA AGRÍCOLA PENAL NO PARÁ QUE REPERCUTIU NO MUNDO

SOMENTE PARA MAIORES DE DEZOITO ANOS. FOTOS NUAS DE BB!

Divulgada lista de aprovados no concurso para cargos de escrivão, investigador e papiloscopista